Blog Oficial

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Cabelo, chapinha, dicas para usar e evitar

Alisar os fios úmidos e dispensar protetores térmicos pode acabar com a prancha


A chapinha é uma das melhores amigas de quem quer alisar o cabelo sem passar horas em um salão de beleza. No entanto, é muito comum as mulheres serem vítimas da pressa e cometerem alguns deslizes na aplicação da prancha, danificando os fios. "Passar a chapinha já é suficiente para deixar os cabelos ressecados e sujeitos à queda, o ideal é evitar o uso frequente", afirma a hair stylist Aline Carvalho, do salão Fino Capelli, no Rio de Janeiro. Confira os maiores erros de quem faz chapinha e não repite nenhum deles.


Fazer chapinha com o cabelo sujo


O liso amassou e você queria só dar uma arrumada nas pontas? Esqueça essa ideia, lave o cabelo e faça o alisamento todo novamente. Aplicar a prancha nos fios sujos, ainda que você tenha lavado no dia anterior, deixa o cabelo com aspecto pesado e oleoso. "A oleosidade da raiz se espalha por todo o comprimento, deixando os fios grudados", diz o cabeleireiro Nando Ardessore, do salão L'Officiel III, em São Paulo.



Dispensar os protetores térmicos

Os produtos termoativos formam uma espécie de camada protetora, que isola os fios do calor. "O uso de protetores térmicos é muito importante antes de usar uma chapinha, o cabelo fica protegido contra o calor da prancha, diminuindo o risco de dano aos fios", diz a cabeleireira Ruthleia Maciel, da MR Martin Hair e Beauty, no Rio de Janeiro. "Coloque uma pequena quantidade do produto na palma das mãos, espalhe e aplique em todo o comprimento do cabelo antes de passar a chapinha". Não aplique perto da raiz, evitando o excesso de oleosidade.



Usar chapinha com o cabelo molhado

Passar a prancha nos fios úmidos ou molhado é como "fritar" os cabelos - você inclusive ouve aquele barulho de alimento fritando e vê a fumaça saindo dos fios. "Isso destrói a fibra que estrutura os fios, além de deixá-los ressecados e com um aspecto queimado", afirma a cabeleireira Ruthleia.



Separar o cabelo em mechas grandes

Você pode até estar com preguiça, mas separar mechas enormes de cabelo para poupar o tempo acaba com o cabelo e com o resultado da chapinha. "Você vai precisar passar a prancha várias vezes para conseguir alisar os fios, o que além de gastar mais tempo irá danificar o cabelo", diz o cabeleireiro Nando. A hair stylist Aline explica que separar mechas muito grandes pode deixar o cabelo desalinhado e amassado, comprometendo a produção. "O ideal é separar uma mecha da largura de um dedo e aplicar a chapinha em uma de cada vez."



Ficar passando as mãos no cabelo

Muitas pessoas têm mania de passar as mãos nas mechas após aplicar a chapinha, para ter certeza de que o cabelo atingiu o liso desejado. "As mãos acumulam sujeira e oleosidade, deixando os cabelos pesados e acabando com a produção", afirma Nando Ardessore. Por isso, lave bem as mãos antes de começar a alisar o cabelo e evite passá-las nos fios.



Esquecer a chapinha na mecha

Para garantir que o cabelo fique bem liso ou então para deixar as pontas viradas, é comum algumas pessoas deixarem a chapinha parada no cabelo. "As chances de você derreter a mecha com essa prática são grandes, devido a alta temperatura das pranchas", afirma a cabeleireira Ruthleia. "É preciso passar a prancha rapidamente pelos fios, para que o calor não danifique ainda mais o cabelo."



Fritar o cabelo todos os dias

Os especialistas recomendam passar a prancha somente nos dias de lavagem do cabelo - em dias alternados ou três vezes por semana, por exemplo. "É importante também dar um descanso para a prancha e usar o secador pelo menos uma semana no mês, pois ele danifica muito menos os fios", explica a hair stylist Aline. Ela afirma que usar a chapinha todos os dias retira a umidade natural dos fios, deixando-os ressecados e danificando as pontas.



Não hidratar

Quem tem o costume de alisar o cabelo com chapinha deve fazer uma hidratação pelo menos uma vez por semana. "Ela ajuda a devolver a umidade natural dos fios e restaurar os danos causados pela chapinha, trazendo de volta a vitalidade", diz o cabeleireiro Nando.



Saiba como usar corretamente a chapinha sem estragar os cabelos

Sem cuidado, aparelho pode danificar gravemente os fios.

Ostentar uma cabeleira farta, lisinha e saudável faz parte dos desejos de muitas mulheres. Não é à toa que as técnicas de alisamento se multiplicam ano após ano. Há uma infinidade de tratamentos, fórmulas e até equipamentos para tornar o sonho real. Entre processos complexos e demorados à escova tradicional, a chapinha, também conhecida como prancha ou piastra, agrada por ser acessível e, principalmente, por apresentar resultados rápidos. Porém, o uso do aparelho demanda um cuidado extra com os fios, que podem facilmente ficar sem vida e desidratados. Veja dicas da cabeleireira Amanda Dias para usar a chapinha sem prejudicar a saúde dos seus cabelos.



Cuidados básicos

Para usar a chapinha é necessário encarar uma série de etapas. É recomendado fazer uma boa lavagem nos cabelos, secar cuidadosamente com a toalha (sem esfregá-la para não abrir as cutículas dos fios), usar um secador e aí sim adotar o aparelho.

Chapinha exige cuidados extrasO uso excessivo da chapinha desidrata os cabelos. Até mesmo os aparelhos que prometem hidratar podem provocar estragos. Assim como os modelos mais comuns, eles retiram a umidade do cabelo, ou seja, fazem justamente o oposto do princípio básico da hidratação, que é levar água ao fio. Por isso, para escapar de consequências catastróficas, o ideal é abusar de protetores termoativados e condicionadores sem enxágue. Os produtos criam uma camada de proteção entre o aquecimento da prancha e o fio.



Os melhores modelos

Existem tantas opções de chapinhas no mercado que fica difícil saber qual o modelo comprar para usar em casa. A de cerâmica leva vantagem em relação a concorrente, de titânio, pois temperatura da prancha é distribuída por toda a superfície da placa de metal de forma estável. Isso significa que os fios ficam mais protegidos das oscilações de calor no decorrer do procedimento, diferente do que ocorre com as de titânio.



Escova progressiva

Outro aspecto positivo do modelo de cerâmica é que ela otimiza o seu tempo, já que não há a necessidade de passá-la várias vezes na mesma mecha para alisar. No entanto, seja prudente se você optar por aparelhos assim: ela proporciona mais calor e com isso abre precedentes para a queima dos fios.

Quanto a espessura da prancha, o ideal é ficar no meio termo e apostar em uma chapinha média, que contempla as melhores qualidades da fininha e da mais larga. Ela permite o alisamento de mais fios e também torna o processo mais ágil.


Passo a passo

- Lave bem os cabelos e enxague com cuidado para evitar que resíduos de xampu e concidionador fiquem nos fios.

- Tire a umidade dos cabelos com uma toalha. O cuidado deve ser aplicado até mesmo quando a chapinha é apropriada para ser usada em fios molhados.

- Utilize um protetor térmico nos fios para evitar que eles sofram danos irreparáveis em contato com o calor da prancha

- Verifique a temperatura da chapinha. Especialistas recomendam que ela não passe dos 180 graus.

- Divida o cabelo em mechas de dois a três dedos de diâmetro e passe o aparelho da raiz as pontas, começando pela nuca. Tenha cuidado com os movimentos: nunca deixe a prancha parada em ponto por muito tempo.


Saiba como tratar a queda de cabelos


Pesquisas revelam um aumento de 10% ao ano no número de casos em mulheres.

A queda e diminuição de cabelos não é apenas um problema do sexo masculino, portanto não pode ser chamada de calvície, uma vez que este termo só se aplica à rarefação capilar, devido a problemas genéticos.


Acredita-se que o estilo de vida das mulheres é que leva ao quadro. O stress provoca no corpo alterações hormonais, que podem levar a queda dos fios.

Toda vez que percebemos uma maior queda de cabelos, provavelmente estamos diante de um quadro de perda anormal. Os cabelos (até 100 fios) perdidos todos os dias, não são vistos, pois esta perda se dá durante todo o dia.

A queda é mais visível durante o banho ou na hora de pentear, entretanto ainda é normal. A patológica é aquela que a pessoa perde mais de 150 fios por dia. No outono, os cabelos realmente caem mais do que na estação anterior, que é o verão.

Isso acontece porque a pele possui sensores de luminosidade, que sofrem mais estímulos no verão, fazendo com que os cabelos cresçam mais e caiam menos nesta estação.

Com a chegada do outono, os fios começam a cair, dando a impressão de uma queda maior. Para diagnosticar o quadro e a existência de problema capilar são necessários exames de rotina que envolve a bioquímica do sangue para se avaliar todos os hormônios (da hipófise, da tiróide, da supra-renal e dos ovários e testículos no homem), e também o metabolismo, dosando reservas de ferro, zinco, cobre, vitaminas e, se necessário uma biopsia do couro cabeludo.



O papel dos xampus

Infelizmente, os xampus são apenas coadjuvantes do tratamento, pois não é possível reverter o quadro de queda apenas com esse produto. Os xampus antiqueda são bons para manter o couro cabeludo estável e limpo, especialmente quando há presença de dermatite seborréia ou caspa.

"Toda vez que percebemos uma maior queda de cabelos, provavelmente estamos diante de um quadro de perda anormal".As substâncias que existem hoje, aprovadas pelos ministérios da saúde dos países onde eles estão presentes são:



Para homens:

Tópicos:

- Minoxidil: ao contrário do que se pensava, o minoxidil, apesar de ser um vaso dilatador, não atua com esta função no folículo piloso. A função dele é estimular a divisão celular (ação mitógena) e assim estimular o crescimento dos cabelos. - Avicis (17-alfa-estradiol) é uma substância tópica que atua impedindo a formação do complexo DHT que atua fazendo uma miniaturização do pêlo, que é a calvície.


Oral:

- Finasterida: bloqueador de uma enzima, a 5-alfa-redutase, que transforma a testosterona (T) em Dihidrotestosterona (DHT) que é a responsável pela miniaturização dos pêlos.



Para mulheres:

Tópicos:

- Minoxidil e Avicis.



Oral: Flutamida: substância que bloqueia a ação dos hormônios masculinos, impedindo que eles ajam na pele e nos cabelos.



Todos os tratamentos precisam de acompanhamento médico, pois podem apresentar efeitos colaterais individuais que precisam ser avaliados caso a caso.



Dúvidas e Dicas

Tratamentos com laser não são considerados éticos, pois não há estudos comprovando a sua eficácia. Podem ser realizados experimentalmente, sem custo, em serviços de ensino e pesquisa (universidades ou centros de estudos).

Não é aconselhado prender os cabelos todos os dias, quer seja com elástico ou não. Pode-se induzir uma perda de cabelos chamada de alopecia por tração, comum em pessoas da raça negra que usam os cabelos muito presos.

Chapinha aquece os cabelos podendo, se não aplicada corretamente, danificar a haste capilar. O mesmo acontece com a escova. Uma freqüência máxima de dia sim, dia não, dependendo do cabelo pode ser aceita.

Gel, mousse, leave, cremes, nenhum desses produtos prejudicam os cabelos. Podem deixá-los mais ressecados ou sem brilho, entretanto não interferem na queda.


Aposte nos cortes repicados e dê um tempo na escova

Aposente o secador escolhendo o melhor corte para o seu tipo de cabelo

Com o tempo esquentando, os salões de beleza já começam a sentir os efeitos do verão que se aproxima. A busca por cortes mais práticos é um dos primeiros sinais de que o tempo frio começa a deixar saudades.


Neste ano, aposte nos looks repicados. A técnica, há bastante tempo usada nas franjas para dar leveza ao rosto, chega com tudo agora em todo o comprimento. Por vários motivos: diminui bastante o volume (grande vantagem se você não vive sem escova), garante um visual mais moderno e, mesmo sem mexer no tamanho, é possível conseguir grandes mudanças.

"Além disso, um bom corte repicado chega a durar seis meses", afirma o cabeleireiro Marco Antonio de Biaggi, do salão MG Hair Design. Endeusado pelas famosas, ele acaba de mostrar sua habilidade com a tesoura transformando a cabeleira da jornalista Ana Paula Padrão, do SBT. "Cortei quatro dedos do comprimento e fiz um repicado geral em toda a cabeça", explica Marco.

Quem não gosta de ir muito ao cabeleireiro, mas tem pavor de olhar o mesmo reflexo no espelho por muito tempo, também deve apostar nessa idéia. Isso porque o corte repicado, ao criar várias camadas diferentes de cabelo, permite que você abuse da criatividade na hora de se arrumar: de lado, dividido ao meio, parte preso, completemante liso ou até com cacheados nas pontas, os cabelos ficam impecáveis.


Cabelo repicado Look democrático

A aparência de apresentadora de TV está liberada para cabelos de qualquer formato, dos lisos escorridos aos mais encaralados - neste último caso, Marco Antonio recomenda uma maneirada na região próxima à raiz, para não armar demais, causando efeito contrário do esperado. "O repicado, quando bem feito, suaviza a fisionomia e dá mais movimento ao cabelo", diz o especialista.

Só não confunda repicado com desfiado, que mexe com a espessura do cabelo e pode deixá-lo enfraquecido.


Resultado?

Fios quebrados demais, com você obrigada a se render à tesoura, querendo ou não experimentar um visual com a nuca descoberta.


Operação resgate: três jeitos muito fáceis de revitalizar os cabelos

Lavagem adequada, hidratação e corte regular fazem milagres pelos fios

O cabelo enfraquecido, quebradiço e que cai o tempo todo está com os dias contados. E nem é preciso ir ao melhor salão de beleza ou comprar a máscara capilar mais cara do mercado. Siga a risca três etapas mágicas para garantir o fortalecimento e revitalização das madeixas: lavar, hidratar e cortar.



Hora de lavar

Os cabelos acumulam grande parte da sujeira a qual somos expostos diariamente. A higienização, neste caso, é o primeiro passo para livrar os fios das agressões para que eles não fiquem com a aparência danificada.

De acordo com o cabelereiro Ernani Fernandes, do salão MGet, uma boa lavagem exige cuidados simples. Em primeiro lugar, ensina o profissional, a cabeça deve estar bem molhada para receber o xampu recomendado ao seu tipo de cabelo.



HidrataçãoHidratação a cada 15 dias

As máscaras capilares, mesmo que não sejam de uso profissional, trazem ótimos resultados. Sem dúvida, você pode apelar para as máscaras quando o cabelo ressecar demais. O problema vai amenizar e a quebra dos fios diminui. Mas, mantendo uma rotina de hidratação cada quinze dias, os efeitos dos produtos são muito mais duradouros.

Quando os fios ressecam, a tendência é buscar produtos para cabelos secos. Mas é preciso diferenciar: seus cabelos são secos ou estão ressecados? "Se você tem cabelo oleoso ou normal e está sofrendo com o ressecamento por falta de cuidados, precisa usar uma máscara hidratante específica para o seu tipo de cabelo, e não apara condição que ele apresenta" , afirma o cabeleireiro Peterson Marrichi.

Do contrário, os fios podem ficar oleosos demais, com aparência de sujos e sem vitalidade. Além disso, como ficam mais porosos, os cabelos enfraquecem e podem até cair.

Outro detalhe importante: os fios devem ser lavados antes da aplicação. Com os cabelos limpos, os ativos hidratantes penetram mais profundamente nos fios.

Faça uma massagem com as pontas dos dedos (e não com as unhas) e deixe o produto agir segundo as indicações do fabricante. "A máscara continua agindo mesmo depois que é enxaguada. Se você deixa para lavar o cabelo depois de aplicá-la, o xampu leva embora boa parte do produto" , diz Peterson.

Preserve a raiz do cabelo. A máscara deve ser aplicada mecha por mecha, do meio dos fios até as pontas. Se for aplicada no topo, o cabelo ficará com aspecto de sujo, mesmo que tenha acabado de ser lavado.

A raiz solta um óleo natural que, se misturado com qualquer tipo de creme, deixa o cabelo com aspecto pesado. E não adianta achar que pode ficar com a máscara o dia todo. Normalmente, o limite de ação dos produtos não excede os 10 minutos.

A máscara abre as cutículas dos fios, por isso é importante retirar bem passado este tempo, diz Peterson Marrichi. Deixando resíduos da máscara dos fios, eles ficam mais suscetíveis às agressões, como poluição e o jato quente do secador. Nesses casos, a máscara mais prejudica do que ajuda a saúde do cabelo, finaliza o cabeleireiro.



Corte de três em três meses

Para muita gente, isso é papo de cabeleireiro. Mas não é, fique certa.

A não ser que seu cabelo demore muito para crescer, este é o tempo médio de duração de um corte.

"Passada essa fase, as pontas começam a abrir e os fios quebram-se com facilidade. Os arrepiados aumentam o volume e os fios fracos começam a cair", explica o cabeleireiro Paulo César Schettini.



Faça sua progressiva durar mais tempo

Os tratamentos e os cuidados ideais para proteger os cabelos lisos

Por Minha Vida


Uma progressiva transforma seu verão. Dá para pegar a praia sem neuras, pensando na festa de mais tarde ou no sufoco que seria dar uma ajeitada no cabelo depois de um dia inteiro com ele embaraçado. Mas não é porque os fios ficaram lisos que, agora, estão imunes às agressões. "O alisamento só muda a estrutura do cabelo, não é um tratamento" , afirma a cabeleireira Gabriela Borges, do Sophi Coiffeur.(faça uma avaliação gratuita de beleza)


Para manter o brilho e a maciez dos fios, assim como adiar a necessidade de retoques na raiz, a melhor maneira é caprichar nas hidratações. São necessárias aplicações em casa e no salão , recomenda a especialista. Isso porque os cuidados profissionais sãomais profundos, enquanto aqueles que você mesma faz são perfeitos para manutenção. Segundo Gabriela, nas hidratações feitas no salão, são utilizadas técnicas manuais, que aceleram o aquecimento do produto. Isso faz com que o efeito nos fios seja mais eficaz. Também usamos o vaporizador, que aumenta a ação do produto.


Mas também é importante usar produtos de proteção solar, principalmente se o cabelo tem alisamento e tintura , diz. Além do ressecamento, os loiros ficam mais amarelados e os vermelhos ou castanhos, desbotam .(cuidados para pintar os fios em casa)


Dar uma folga no xampu também ajuda e trate de riscar as fórmulas de limpeza profunda da sua lista de compras. Elas, literalmente, fazem sua progressiva descer pelo ralo. Já existem kits de manutenção para progressiva, são produtos que podem ser usados diariamente sem comprometer a duração do tratamento , indica a cabeleireira.


Fora isso, não deixe de reparar nas mudanças que seu cabelo tem apresentado. Isso porque as hidratações são divididas em vários grupos: há aquelas para cabelos sem brilho, danificados, que quebram facilmente e assim por diante. Daí que um bom diagnóstico é fundamental.


Nos casos de ressecamento mais intenso, nem pense duas vezes em investir algum dinheiro num xampu e num condicionador profissionais. Eles realmente são bem mais caros do que os vendidos no supermercado. Entretanto, a diferença de resultado compensa. Eles são bem mais específicos do que as fórmulas populares, além de apresentarem efeito bem mais rápido, característica determinante no caso de um cabelo muito fragilizado , diz a especialista do Sophi Coiffeur. (cortes repicados diminuem o volume)


E, definitivamente, esqueça a idéia de tentar achar uma solução sozinha. Isso só piora tudo. A escolha errada do produto ou mesmo a aplicação indevida podem, simplesmente, não adiantar nada ou, pior, até pôr tudo a perder. O estado dos fios piora muito e a recuperação torna-se cada vez mais difícil , finaliza a cabeleireira.


Progressiva longa-vida

1. Use creme com proteção solar

2. Faça hidratações em casa pelo menos uma vez por semana

3. Faça uma hidratação mensal no salão

4. Nunca use xampus de limpeza profunda

5. Analise sempre seu cabelo e use produtos de acordo com o estado atual dele

Um comentário:

  1. Saiba como usar corretamente a chapinha sem danificar os cabelos
    Atualmente existem várias técnicas de alisamento e uma infinidade de tratamentos e fórmulas para deixar os fios lisinhos. Entre processos complexos e demorados a chapinha, também conhecida como prancha ou piastra, agrada por ser acessível e, principalmente, por apresentar resultados rápidos. Porém, o uso do aparelho demanda um cuidado extra com os fios, que podem facilmente ficar sem vida e desidratados.
    Veja as dicas para usar a chapinha sem prejudicar a saúde dos seus cabelos.

    Como usar sem danificar os fios

    Antes de tudo lave bem os cabelos para remover toda a oleosidade. Use o shampoo e o condicionador adequados ao seu tipo de cabelo.
    Mesmo que sua chapinha possa ser passada com os fios molhados, não recomendamos o uso dessa forma, pois a temperatura do aparelho pode ?fritar? os fios, por isso use um secador antes de aplicar a prancha.
    Se você faz uso da prancha com frequência é necessário hidratar os cabelos pelo menos de 15 em 15 dias.
    Chapinha exige cuidados extras, o uso do Protetor Térmico Brasil Ervas é fundamental para proteger os fios do excesso do calor, ele não contem óleo e por isso não pesa os fios, além de aumentar a durabilidade do efeito liso.

    Verifique a temperatura da chapinha. Especialistas recomendam que ela não passe dos 180 graus.
    Divida o cabelo em mechas de dois a três dedos de diâmetro e passe o aparelho da raiz as pontas, começando pela nuca. Tenha cuidado com os movimentos, nunca deixe a prancha parada em ponto por muito tempo.

    Conheça os tipos de chapinha:
    Íon ? esse tipo de aparelho serve para fechar as cutículas dos fios e manter a hidratação natural do cabelo deixando o fio mais liso e brilhante.
    Cerâmica ? é menos agressiva aos fios. Esse tipo é mais comum, pois atinge alta temperatura e mantém-se assim durante todo o processo de alisamento, o que faz com o que o resultado seja mais uniforme.
    Turmalina ? sela a cutícula dos fios deixando-os mais lisos e sem arrepiados.

    Também é possível utilizar a chapinha para cachear os cabelos, uma opção a mais que esse equipamento oferece.

    Escolha seu estilo e abuse da criatividade!

    http://www.meushampoo.com.br/p-16-saiba-como-usar-corretamente-a-chapinha-sem-danificar-os-cabelos

    ResponderExcluir